DANÇA TRADICIONAIS

DANÇA TRADICIONAIS


Criada a partir do ritmo Mazurca, que se difundiu pelo Brasil quando do surgimento do rádio, a Rancheira tem sua característica própria diferenciando-se por ter sua acentuação forte no 1° tempo da Música e não no 2° tempo como é o caso da Mazurca. A Rancheira é dançada de forma enlaçada, mas no Sul do Brasil encontramos uma variação onde os dançarinos formam duas fileiras, de um lado os peões com a frente do corpo voltada para a extremidade do salão e do outro as prendas, de costas para as extremidades do salão e de frente para o seu par, formando uma espécie de túnel, podendo ser de mãos dadas ou não. O último par a direita dos peões passa por dentro do túnel se posicionando na outra extremidade, todos os pares executam este movimento (figuras) de forma que este trenzinho ande pela sala

MARCHA (marchinha)

A marcha que marcou época em nosso País foi a Marcha “O Abre Alas” composta por Chiquinha Gonzaga para o Rancho Carnavalesco Rosa de Ouro em 1899, inspirada pelo ritmo marchado utilizado pelos negros quando desfilavam se requebrando pelas ruas. Um dos ritmos colaboradores para as danças de pares enlaçados foi o One Step, criado nos Estados Unidos no final do século XIX e ínicio do século XX, que logo a seguir veio influenciar as danças de salão brasileiras. No sul do Brasil a Marcha tem maior aceitação nos lugares onde predomina a colonização alemã.

CHAMAMÉ

A dança originou-se na tribo indígena “Kaiguá”, entre Brasil e Corrientes, pelos índios era conhecida como “Polkakirei”, uma polca movida em ritmo ágil e contagiante, a palavra chamamé teria origem na frase “Che amoa memé” que significa “te protejo”. Da forma que foi introduzida no Sul do Brasil já se perdera parte de sua originalidade. Tomou novas formas, outros instrumentos foram sendo introduzidos e este ritmo se tornou um dos mais empolgantes do nosso Fandango Gaúcho.

MILONGA

Segundo Câmara Cascudo, na língua Bunda, da República de Camarões, Melunga no plural torna-se Milonga, palavra que, por volta de 1829, em Pernambuco, significa enrolação, conversalhada, enredo. Popular no subúrbio de Montevideo e de Buenos Aires ao final do século XIX é canto e dança do tipo da habaneira e do Tango Andaluz.
No Rio Grande do Sul, a Milonga foi introduzida ao som da viola que acompanhava os pajadores, logo em seguida outros instrumentos musicais foram sendo adaptados a este ritmo. Acredito que a Milonga seja o ritmo mais romântico dos fandangos gaúchos, acho que os compositores escolheram a Milonga para declarar seus amores, seus romances.

CHOTE

O chote pode ter tido sua origem na Hungria, mas existem muitas divergências a este respeito. De acordo com Câmara Cascudo, o chote teve sua aparição no Brasil graças ao professor de danças Julles Transsaint, que em 28 de junho de 1851 lançou o chote com sucesso no Rio de Janeiro. Além do Sul do Brasil o Chote também é muito executado no nordeste brasileiro nos famosos bailes chamados de Forró.

VANEIRA

Sem sombra de duvida, a vanera é o ritmo mais apreciado e mais executado nos bailes gaúchos. Ritmo afro-cubano a Habaneira influenciou vários ritmos dos paises hispano-americanos sendo difundida na Espanha.
Conhecida também como Havaneira, acredita-se que seu nome tenha sido uma homenagem a capital de Cuba, Havana ou também como é conhecida La Habana. Chegou ao Brasil por volta de 1866 e influenciou não só ritmos do Sul como também o samba canção dos cariocas.
No Sul, a Vaneira ou vaneira ganhou outros nomes, de acordo com o andamento da música. Vaneirinha para ritmo lento, vaneira para ritmo moderado e vaneirão para ritmo rápido.

VALSA

Ritmo que não pode faltar nas festas mais tradicionais da nossa sociedade: casamentos, aniversários, nos bailes de sarau. A valsa a muito tempo vem sendo a rainha das danças de salão, homenageada pelos maiores compositores da história como por exemplo Mozart, Bethoven, Strauss, entre outros. Sua origem mais recente é das danças rústicas Alpinas da Áustria.
Ao Brasil este ritmo chegou por volta de 1816 quando era muito dançada no Primeiro e Segundo Império e esta acabou caindo nas graças do povo. Para o Sul, a Valsa foi trazida pelos imigrantes alemães e assim como outros ritmos ganhou características regionais tanto na música quanto na dança.

BUGIO

Quando falamos em Bugio, lembramos do primata das matas do sul do Brasil, macaco de pelos avermelhados que em muitas de suas atitudes imita ou se parece com o ser humano. Segundo Paixão Cortes e Barbosa Lessa, em pesquisa realizada por volta de 1940 encontram na região das Missões, Planalto e Serra Gaúcha o Bugio sendo dançado em todas as classes sociais.
Inicialmente o Bugio era tocado em gaita ponto, ou popularmente como é chamada de gaita de voz trocada que ao abrir e fechar fole tirava-se sons que pareciam ser o do ronco do Bugio, e é assim que surge o ritmo essencialmente gaúcho que tem como sua principal característica o jogo de fole. Mas a relação com o primata não para por ai , pois nos passos da dança imitamos o Bugio na forma de caminhar dando pequenos saltos, ora para um lado, ora para outro.

Associe-se:

Mensalidade R$ 15,00. Temos os seguinte beneficios: Unimed, CariSaúde, RM Diagnósticos, Drª. Érica Pilecco, Drª. Sabrina Vaz Campos, Wizard, Jarau Pneus, Piscinas do 7 de Setembro, Tênis Clube e Aquacenter


Atualiza sua Ficha de Sócio:

Agora você poderá atualizar sua ficha.


Cadastre sua Empresa:

Nós temos mais 1000 sócios, você poderá fazer parceria para os sócios do CTG Farroupilha que seja seus clientes com descontos.

Benefícios

Área da Saúde, Veículos, Estudos e Piscinas.

Patrocinadores do Programa Charla Farrapa

Programa na Rádio Alegrete 590 AM, nos domingos 10h as 11h.

Endereço:

  • Endereço: Avenida Dr. Euripedes Brasil Milano, 509, CEP: 97.542-280
  • Email: contato@ctgfarroupilha.com.br
  • Email: ctg_farroupilha@hotmail.com
  • Website: www.ctgfarroupilha.com.br
  • Telefone: (55) 3422 3388
  • Horário de Funcionamento: Segunda a Sexta: 08h à 12h e 14h à 18h. Sábado: 08h à 12h

DESENVOLVIDO POR:

APOIO: